domingo, 26 de fevereiro de 2012

Van Halen em Detroit Rock City

Nota do blogueiro: Este será meu primeiro post de rock (ou seja: não-esportes) no blog... Espero que mais posts roqueiros venham por aí!

Nota do blogueiro 2: Trilha sonora? Se eu fosse adepto de clichês, recomendaria
esta aqui ou talvez mais esta aqui. Mas como sou teimoso, vamos da fresquinha "Tattoo".

Seja qual for a sua vertente roqueira, acho que você concorda com uma premissa na qual acredito cegamente: há bandas que são legais. Simplesmente legais. Não precisam, necessariamente, revolucionar o rock. Mas são aquelas bandas que te fazem feliz quando o shuffle do iPod (ou quando o rádio, se é que você ainda ouve...) decide lhe dar um presente. Daquelas bandas que deixam você cantarolando o dia todo, com vontade de ouvir mais. VAN HALEN - especialmente com DAVID LEE ROTH - é uma dessas bandas. Vê-los ao vivo, então, é garantia que a sua noite será muito legal.

E em 20 de fevereiro, segundona brava, essa banda "simplesmente legal" deu o ar da graça em Auburn Hills (pertinho de Detroit) para o segundo show da turnê de divulgação do novo álbum, o igualmente legal "A Different Kind of Truth" - o primeiro de material inédito com "Diamond Dave" de volta aos vocais desde 1984. E para aumentar a expectativa em torno do show, vale destacar que esta foi apenas a segunda data de uma tour americana que vai até julho - o primeiro espetáculo foi em Louisville, Kentucky, no dia 18.




É verdade que os saudosos podem reclamar - não sem alguma razão - que VAN HALEN de verdade tem como baixista Michael Anthony (e não o esforçado, mas ainda em literal fase de crescimento, Wolfgang Van Halen, filho de Eddie). Mas convenhamos: é a dobradinha Eddie-Dave que fez da banda um monumento ao hard rock. E a dupla está afiada, harmônica (em todos os sentidos) e visivelmente feliz.

Pouco feliz, entretanto, foi a ideia de escalar KOOL & THE GANG para abrir o show em Auburn Hills. É verdade que eles estavam passando pela área - pois tocaram num cassino em Mount Pleasant na sexta-feira anterior - e o convite para uma pontinha de abertura no Palace parecia conveniente. Mas o agradável suingue de Robert "Kool" Bell e sua trupe combina tanto com VAN HALEN quanto leite combina com feijoada. Ok, ok, sem reclamações... "Jungle Booggie", "Get Down On It" e "Celebration" também se encaixam na categoria das músicas legais.



Por volta das 8:40 PM, Dave e a família Van Halen - Eddie, Wolf e titio Alex - fizeram a alegria dos cerca de 15 mil presentes ao ginásio do Detroit Pistons com uma entrada triunfal: "You Really Got Me", cover do KINKS eternizado pelo quarteto anfitrião da festa roqueira em Auburn Hills. "Runnin’ With The Devil" veio na sequência, com Diamond Dave espantando os demônios ao sapatear em seu tablado especial, montado bem no centro do palco (entre os microfones de Wolf e Eddie).

Com ou sem tablado, o que falar de Dave? Ícone do "cara legal" - imagem construída em inesquecíveis clipes dos anos 80 (como "Hot For Teacher", "Panama" e "Jump") e mesmo em sua carreira pós-VAN HALEN -, ele também é um dos frontmen mais memoráveis da história do hard rock. Aos 58 anos, numa forma física invejável (mantida à base de jiu jitsu brasileiro e uma vida sem tantos excessos na Califórnia) , ele domina o palco com energia de menino e maestria de veterano. Na atual turnê, ele assumiu uma persona de crooner: headset (para deixá-lo sem amarras no palco, claro) e uma coleção de ternos brilhantes (azul, vermelho, prateado...) sobre camisa com colete e "calça-social-stretch". Um autêntico dândi armado de gritos potentes e muita irreverência.



E o que falar de Eddie? Um virtuose... Não precisa de pulos ou paletós de lantejoulas para brilhar. Precisão cirúrgica e velocidade alucinante na guitarra, que dispara alguns dos solos mais cabeludos de todo o repertório hard-roqueiro com a candura de menino que brinca de Guitar Hero (não é à toa que eles têm um joguinho só deles, né?). Sim, Eddie é a alma do VAN HALEN - amém.



Alex (outra fera legendária) e Wolf (uma "obra em progresso", por assim dizer) também valem o ingresso. Afinal, sem eles não existiriam canções como "Tattoo", "China Town" e "The Trouble With Never" - bons bocados de "A Different Kind of Truth" pinçados para esta tour. Mas verdade seja dita: ninguém ali pagou ingresso para ouvir novidades (ou para ver KOOL & THE GANG - #prontofalei)...



E a própria banda sabe disso, tanto que caprichou no set list e trouxe pérolas como "Women In Love", faixa escondida do antológico "Van Halen II" (de 1979) e que não era tocada ao vivo desde 1980. "Beautiful Girls", "Girl Gone Bad" e "I’ll Wait" também podem se encaixar na categoria das preciosidades.

Mas quando o assunto entra nos clássicos, chega a ser covardia: impossível não agradar multidões ao som de hinos como "Dance the Night Away," "Unchained," "Ain't Talkin' 'Bout Love", "Hot for Teacher", "Panama" e, claro, "Jump" - saideira do show, com direito a chuva de papel brilhante e Dave desfilando de chapelão na cabeça e bandeira quadriculada nas mãos. E também teve "(Oh!) Pretty Woman", cover de ROY ORBISON, para não restar dúvida de que VAN HALEN, além de uma banda simplesmente (muito) legal, também fez sua parte na revolução do hard rock.



VAN HALEN - The Palace of Auburn Hills (MIchigan, USA) - 20 de fevereiro de 2012.

1. You Really Got Me
2. Runnin' With The Devil
3. She's The Woman
4. Romeo Delight
5. Tattoo
6. Everybody Wants Some!!
7. Somebody Get Me A Doctor
8. China Town
9. Mean Street
10. (Oh!) Pretty Woman
(Alex Van Halen drum solo)
11. Unchained
12. The Trouble With Never
13. Dance The Night Away
14. I'll Wait
15. Hot For Teacher
16. Women In Love
17. Girl Gone Bad
18. Beautiful Girls
19. Ice Cream Man
20. Panama
(Eddie Van Halen guitar solo)
21. Ain't Talkin' 'Bout Love
22. Jump

Nenhum comentário:

Postar um comentário